Três erros que todo gestor de operadora de saúde deve evitar

gestor operadora de saúde

Três erros que todo gestor de operadora de saúde deve evitar

A administração de um empreendimento não é uma tarefa fácil e exige muita dedicação e esforço por parte dos gestores. Um gestor de operadora de saúde lida com diversos desafios diariamente, como o alto volume de informações diárias, manter o bom relacionamento com o seu público e com seus parceiros e ainda ter o controle das contas médicas.

Esse segmento conta com várias dificuldades que não são encontradas em outros tipos de empreendimentos. Por isso, a gestão de uma operadora de planos de saúde exige muita atenção aos detalhes e um planejamento muito bem alinhado aos seus objetivos.

Ainda que exista todo o preparo necessário para desenvolver as atividades no mercado, a gestão desse tipo de negócio precisa saber executar a sua função e assegurar que os objetivos estejam adequados às expectativas de crescimento.

O sucesso de qualquer empreendimento está diretamente ligado aos seus acertos. Uma boa gestão deve ficar atenta a todos os detalhes como meio para alcançar excelentes resultados.

Os 3 erros mais comuns do gestor de operadora de saúde e como evitá-los

Por isso, separamos 3 principais pontos que você deve ficar de olho se pretende alcançar o verdadeiro e permanente sucesso nos resultados da sua operadora de saúde. Confira!

1 – Não usar indicadores de desempenho

Mesmo que você conte com uma estratégia bem definida, é preciso ter meios eficientes para acompanhar os resultados alcançados e alinhar os esforços de acordo com os erros e acertos.

Esse processo é fundamental para uma boa gestão de operadoras de saúde, possibilitando acompanhar de perto seus resultados e tomar decisões eficientes. Os indicadores de desempenho — também conhecidos como KPIs — são valores mensuráveis utilizados para comprovar a eficiência de suas estratégias.

Sem ter como medir e analisar precisamente como está sendo o desempenho da companhia, o gestor não consegue realizar uma administração focada na qualidade dos serviços oferecidos e no crescimento do negócio.

2 – Não se manter atento às taxas de sinistralidade

Outro erro muito comum cometido pelos gestores de operadoras de plano de saúde é a falta de atenção às taxas de sinistralidade.

Essa métrica é responsável pela porcentagem de custos que a operadora teve com determinada população — impactando diretamente no reajuste de valores.

Por isso, é fundamental acompanhar essa taxa para compreender melhor quando deve ser necessário o planejamento de uma estratégia específica para regular essa porcentagem. O ideal é trabalhar com o percentual entre 70% e 75%, mas esta taxa pode mudar dependendo de cada operadora.

Uma solução muito usada na gestão de operadoras de saúde, além da elaboração de um plano de cuidados preventivos de longo prazo ao incentivar os beneficiários a levarem um estilo de vida mais saudável, é a adoção de um sistema de auditoria de contas médicas que visa a redução imediata de desperdícios, impertinências, fraudes e cobranças indevidas.

3 – Não acompanhar de perto o fluxo de caixa e seus processos

A prestação e o fechamento de contas de uma operadora de saúde são processos que costumam exigir atenção extrema, principalmente pela enorme quantidade de dados e informações que envolvem.

Conhecer a situação financeira da operadora com base em números e dados concretos é fundamental, principalmente quando se trata da tomada de decisões importantes.

Auxílio da tecnologia na saúde financeira da empresa

Soluções tecnológicas tornam o processamento de informações muito mais eficiente e integrado, otimizando várias etapas do trabalho da auditoria e do gestor de uma operadora de saúde!

Quando se trata da parte financeira, é possível, com o uso de softwares, o gerenciamento e a integração de todos os setores administrativos ao fluxo de caixa.

O SAUDI é um software destinado à manter em dia a saúde financeira das operadoras de saúde. Esse sistema automatiza o processo desde as solicitações de autorização de procedimentos até a auditoria de contas médicas, possibilitando uma redução dos custos desnecessários das empresas.

Os desafios diários enfrentados na gestão de operadoras de saúde são bem complexos, pela enorme quantidade de dados envolvidos. Por isso, é imprescindível que o gestor esteja sempre atento a tudo que está se passando no negócio e evite cometer os erros mencionados acima para manter a qualidade dos serviços e o crescimento da companhia.

A tecnologia é uma grande aliada quando se trata de bons resultados. Conheça O SAUDI e veja como o nosso sistema vai IMPACTAR positivamente os resultados da sua operadora de saúde!

Sem Comentários

Envie um Comentário