Entenda a importância da transparência em contratos de planos de saúde

Entenda a importância da transparência em contratos de planos de saúde

A transparência é um diferencial importante em qualquer setor. Em se tratando de contratos de planos de saúde, torna-se imprescindível, uma vez que são cuidados oferecidos para a manutenção da vida.

Diante disso, é importante que tanto a operadora do plano quanto o beneficiário procurem esclarecer todos os serviços e benefícios garantidos para que ambos possam estabelecer uma relação de confiança pautada na transparência e na qualidade dos serviços prestados.

Então, você é um gestor de plano de saúde? Quer obter informações valiosas que poderão ajudá-lo em sua gestão? Não deixe de conferir este post, afinal, ele foi preparado para você!

Sabe por que a transparência é fundamental para o plano de saúde?

A transparência é uma medida altamente necessária para ambos os lados, uma vez que facilita a compreensão dos critérios e de procedimentos adotados. Assim, as partes interessadas conseguem se planejar com antecedência e evitar surpresas desagradáveis.

O bom gestor amplia a sua visão em torno daquilo que agrada ao consumidor. No entanto, entende que agir com transparência, oferecendo serviços qualificados com garantia e procedência, é o que pode alavancar a sua empresa e conquistar a fidelidade dos consumidores.

O plano de saúde desejado pelo beneficiário é aquele que garante transparência e serviços personalizados em seu contrato. Esses requisitos podem fazer a diferença quando são analisados com seriedade e respeito ao consumidor.

O gestor deve estar ciente de todas essas exigências e adequar à realidade e à necessidade de sua clientela, mostrando clareza na divulgação da carência e da cobertura do seu plano de saúde, fornecendo informações sobre reajuste e deixando o cliente bem informado a fim de evitar surpresas, desentendimentos e, consequentemente, a desativação dos contratos dos planos e a busca de novos serviços.

As operadoras devem informar os índices usados por meio de um extrato enviado ao contratante com antecedência, respeitando as cláusulas estipuladas e negociadas, com o objetivo de repor a variação das despesas médico-hospitalares e garantir o equilíbrio financeiro da carteira de plano de saúde.

Conheça os desafios enfrentados por gestores de planos de saúde

Atualmente, o cenário mercadológico de planos de saúde enfrenta diversos problemas, como a significativa redução de beneficiários — situação que pode ser revertida com uma gestão proficiente que saiba dialogar e negociar com os seus beneficiários de forma prática e transparente. O beneficiário gosta de ser esclarecido, e isso fomenta a sua percepção em relação à transparência, já que ele quer ter conhecimento daquilo que é e que não é direito seu.

É importante ressaltar que o mundo atual é bastante competitivo, o que torna os desafios ainda maiores, uma vez que o consumidor tem várias possibilidades de mudar de operadora e garantir os serviços desejados.

Portanto, o gestor de contrato de saúde deve ter conhecimento e habilidades que transformam problemas em possibilidades de crescimento para a sua empresa, ou seja, gestor e operadoras precisam se reinventar para manter suas atividades com eficiência. Esse é um desafio quase que constante para o gestor.

Saiba quais as maiores queixas de beneficiários de planos de saúde

Segundo o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), o setor de contratos de planos de saúde foi o grande campeão de reclamações no último ano. Conforme o levantamento, as queixas referentes a operadoras de saúde atingiram cerca de 23,4% de reclamações em 2017. Dado esse que fideliza o setor no ranking de reclamações pelo terceiro ano seguido. É mais um desafio para os gestores de planos de saúde.

De acordo com o Idec, a maioria das reclamações está diretamente ligada a aumentos abusivos dos planos sem justificativa coerente, especialmente dos coletivos e empresariais. Há também queixas sobre falta de cobertura, ou seja, a falta de transparência é a grande origem das reclamações.

Essas são reclamações que podem gerar complicações ainda maiores para as operadoras de contratos de planos de saúde, uma vez que o beneficiário insatisfeito pode cancelar o contrato, divulgar informações acerca da conduta da operadora e provocar a perda de credibilidade e, muitas vezes, até processos judiciais — um desgaste nocivo às operadoras.

Cabe a pergunta: vale a pena passar por tudo isso? Agir com competência e transparência não será mais interessante?

Confira algumas estratégias viáveis para adotar em sua gestão

Alguns dos desafios que gestores de contratos de planos de saúde precisam superar são os conflitos e a manutenção do bom relacionamento, tanto com os beneficiários quanto com a Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS.

Além de assegurarem a satisfação dos usuários, os gestores devem se preocupar com o índice IDSS e propor ações para a prevenção de doenças e a promoção da saúde, atendendo a um requisito do novo paradigma de saúde, oferecendo um tratamento mais humanizado para com o outro. Confira, a seguir, algumas práticas importantes para melhorar a sua gestão!

Adoção de indicadores de atendimento

Gestores de planos de saúde que buscam melhores resultados devem adotar estratégias para definir indicadores de atendimento, implantação, mensuração e análise dos dados.

Mais do que atenderem às regras da ANS, os indicadores devem ter posicionamento estratégico da operadora, sua missão, seus valores e o propósito como empresa. Os gestores precisam ter uma política clara e oferecer serviços de qualidade de forma precisa, garantindo o bem-estar de seus usuários.

Valorização da qualificação profissional

Gestores de contratos de planos de saúde podem conquistar bons resultados com a contribuição de seus colaboradores. É fundamental que cada integrante da equipe seja estimulado a desenvolver o seu potencial com clareza de suas atividades, autonomia para agilizar os processos e incentivo a qualificação profissional. Isso, além de gerar bons resultados, promove um ambiente mais acolhedor e, consequentemente, mais produtivo.

Humanização do atendimento

Acolher bem e ser empático nos atendimentos é um diferencial. Entretanto, os gestores de operadoras de planos de saúde não podem abrir mão de atendimentos mais humanizados e mais rápidos por meio de softwares e soluções tecnológicas que otimizam os processos e agilizam resultados.

Mensuração de resultados

De nada servirá todo o empenho sem a análise do desenvolvimento de cada ação realizada. É importante compartilhar os resultados com a equipe.

Inovação na saúde

Atualmente, existem várias tendências no segmento de saúde, como Business Intelligence, Pay for Performance, Big Data e Incentives for Patients. Além dessas, há também o design thinking, metodologia aplicada na área da saúde para detectar erros nos processos. Invista em seu conhecimento e seja um profissional proficiente.

Apesar de todas as possibilidades existentes é importante entender que a gestão financeira de planos de saúde é complexo e requer planejamento orçamentário, análise prospectiva de riscos e até mesmo auditoria, ou seja, são várias etapas que precisam ser cumpridas para eliminar erros.

Adotar o sistema de contas médicas é interessante para assegurar a saúde financeira de um plano de saúde suplementar, uma vez que ele é específico e possibilita contatos diretos com fornecedores, viabilizando auditorias e melhorando o seu trabalho.

Ao longo do texto, foram apresentadas várias indicações sobre a importância da transparência nos contratos de planos de saúde, bem como dicas para melhorar a sua gestão e levar a sua empresa a um lugar de excelência num mercado tão competitivo.

E então, gostou do texto? As informações foram relevantes para o seu objetivo? Quer ficar por dentro das novidades e receber novas informações a respeito desse e de outros temas importantes? Assine a nossa newsletter!

Sem Comentários

Envie um Comentário