Big Data em Saúde: por que usar em um sistema para gestão de custos assistenciais?

big data na saúde

Big Data em Saúde: por que usar em um sistema para gestão de custos assistenciais?

Big Data organiza e processa uma enorme quantidade de dados e armazena os mesmos dentro do seu sistema. Quer saber como ele pode salvar vidas e otimizar os processos internos do seu negócio? Acompanhe mais um artigo feito pelo SAUDI!

Não há dúvida de que você já ouviu falar de big data. No entanto, muitas pessoas ainda não sabem o que é essa palavra.

Basicamente, big data é um conjunto de ferramentas técnicas usadas para capturar, analisar e processar grandes quantidades de dados.

Essas ferramentas são cada vez mais utilizadas em diferentes áreas, incluindo saúde.

A Big Data, em saúde, pode ser aplicada à gestão de operadoras de planos de saúde.

Com a ajuda dessas ferramentas, os gestores das operadoras de saúde podem obter informações mais detalhadas sobre os pacientes para prever possíveis doenças e preveni-las.

Além disso, numa operadora o uso de big data pode favorecer as atividades dos gestores, como o uso da tecnologia para controlar custos, evitar glosas e melhorar os resultados.

Quer saber como utilizar Big Data em sua operadora de planos de saúde? Fique ligado no mais novo artigo do SAUDI – o primeiro e mais premiado sistema para auditoria de contas médicas do Brasil.

 

Quais os principais desafios enfrentados na implementação do Big Data?

Existem muitos desafios na aplicação de big data à saúde, especialmente em hospitais ou operadoras de planos de saúde.

O primeiro fato é que o uso dessa tecnologia ainda é uma novidade para grande parte do setor de saúde brasileiro.

Além disso, como os dados geralmente são distribuídos em diferentes sistemas, acabam por não estarem centralizados e organizados de forma que seja possível implementar o big data.

Portanto, a coleta e o processamento dos dados têm se tornado mais difíceis, mas quando falamos da atuação de um sistema de auditoria de contas médicas exclusivo para operadoras de planos de saúde, ainda é a forma mais eficaz.

Porém, mesmo diante dos desafios, o uso de big data pode ser um aliado no controle populacional, nas estratégias econômicas e financeiras, na prevenção de doenças, no controle de acidentes e especialmente na proteção e preservação da vida.

Vamos dar uma olhada em como a aplicação dessa tecnologia pode salvar vidas e aumentar os resultados da sua operadora de planos de saúde!

Big Data pode salvar vidas!

Apesar dos desafios, é sabido que a aplicação de big data em hospitais pode salvar muitas vidas.

Portanto, considera-se fundamental que essas instituições iniciem seu processo de inovação em saúde e apliquem tais tecnologias.

 

Vamos ver quais são as principais aplicações de big data na área de saúde:

Registros Eletrônicos de Saúde (EHRs)

Como o nome sugere, esses são os registros médicos de todos os pacientes. O aplicativo pode ser implementado por meio de um sistema integrado que permite o cadastramento dos pacientes, desde informações demográficas até alergias e resultados de exames.

Na verdade, esta é de longe a aplicação mais ampla de big data.

Através de uma grande quantidade de dados, muitas informações podem ser extraídas, a tarefa é transformar tudo em conhecimento para melhorar a vida dos pacientes, dos profissionais que os atendem e da gestão das operadoras de saúde.

A utilização do conhecimento gerado a partir do prontuário eletrônico pode auxiliar no aprimoramento de diversos tratamentos, sendo possível a criação de protocolos clínicos específicos para comorbidades ou doenças relacionadas.

Compreender os gostos, peculiaridades e rotinas do paciente também pode aumentar a participação do paciente no tratamento.

O link entre big data e registro eletrônico também suporta:

  • Aumentar o conhecimento
  • Melhorar a definição de políticas públicas;
  • Escolher o melhor Modelo epidemiológico para realizar uma análise de perfil;
  • Criar acordo e suporte à decisão clínica;
  • Promover uma cultura de aprendizagem contínua;
  • Permite criar um sistema de prevenção e participação.

 

Análise preditiva

A saúde enfrenta um enorme desafio, considerando que o consumo e os hábitos de vida das pessoas vão mudando com o tempo e o envelhecimento da população se tornou uma realidade, é particularmente importante acompanhar o curso de vida dos pacientes e familiares.

A análise preditiva é baseada na coleta de informações ao longo do caminho e na recomendação de mudanças de rota para evitar a deterioração da saúde.

Um exemplo é a descoberta do ganho de peso em um curto período de tempo. Se tratada a tempo, pode evitar que pessoas sofram de obesidade, diabetes, hipertensão, doenças cardiovasculares, etc.

Outro ponto é avaliar continuamente a eficácia dos tratamentos cobertos pelos planos de saúde, a equipe médica, cirurgias e condições gerais.

 

Ajuda nos estudos clínicos 

A grande quantidade de informações desempenha um papel fundamental na pesquisa clínica e é a base do desenvolvimento médico.

O desenvolvimento de medicamentos e vacinas conduziu pesquisas rigorosas sobre sua eficácia e possíveis efeitos colaterais;

Somente depois de muitos testes e checagem de informações ele pode ser aprovado para uso.Este é outro caso que se beneficia do big data.

Outra possibilidade de aplicação de big data é sua contribuição para o tratamento do câncer. Com a grande quantidade de dados coletados, os pesquisadores médicos podem desenvolver planos de tratamento mais confiáveis.

Isso porque encontraram um tratamento com maior taxa de sucesso com base na incidência de outros casos e na condição do paciente.

 

Alerta em tempo real

Ainda com foco na saúde, os alertas em tempo real permitirão à operadora de saúde monitorar suas vidas com mais regularidade e eficiência.

Isso porque, usando as informações do paciente adquiridas no sistema de auditoria médica, os gestores poderão acessar as alterações físicas do paciente em tempo real e tomar decisões que reduzam custos, como promover campanhas de prevenção a tempo de preservar a saúde e evitar maiores custos com manutenção e cura de doenças.

Portanto, o software fornece dados relevantes aos gestores imediatamente. Com isso, a operadora pode agir em prol de reduzir o fluxo de pessoas com doenças graves e criar ações que promovam a qualidade de vida para os pacientes.

Na prática, alarmes como redução de vendas, redução de beneficiários, de lucro, falhas de equipamentos extremamente importantes, monitoramento do volume de glosas e/ou de custos com prestadores de serviços, podem ser disparados com base nas necessidades comuns dos pacientes.

Agora você já sabe porque usar big data na saúde é importante e o seu primeiro passo deve ser implementar um sistema para a gestão de custos assistenciais na sua operadora de saúde!

Neste artigo, você aprendeu que Big Data pode salvar vidas dentro das instituições de saúde, por isso procure implementá-la na sua operadora de planos de saúde e sinta os reflexos diretamente na melhoria significativa dos seus resultados.

Entre em contato com o SAUDI e conheça nossas soluções personalizadas para sua operadora de saúde se estruturar e CRESCER pra valer!

 

 

 

Sem Comentários

Envie um Comentário